sábado, 2 de agosto de 2008

uma porção de tempo.

Um tombo.
meu balão voou.
no meio do circo.
eu estou estática.
a roda ainda gira.
o balão sobe.
os transeuntes passam.
o tempo acaba sem parar.

6 comentários:

SPS disse...

... isso me lembra Estudo dos Gases :/ . Gostei, apesar da questão do peso do gás do balão.

Ó... Lalai, gostei tanto de prenegativo que fiz uma intertextualidade com ele :) .

menina de tom disse...

traumas de balão!

se você solta,já era.

Lúcia Neco disse...

o último grão de areia na ampulheta.
caiu.

Borba disse...

é, é a vida.

foi um texto rápido, sem pretensão, mas sempre que eu escrevo qualquer bobagem lá eu recebo mais comentários.

é mais fácil e mais simples pra quem ler, não precisa pensar muito...

Júlia disse...

não..
o tempo nunca acaba
ele sempre vai estar lá.
So depende de onde vc está pra poder enxerga-lo (Se é que se enxerga tempo né?)

Edgar Martins disse...

Magnífico!